Páginas

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

A Ética

A postagem anterior remete a ética, não é a primeira vez que o assunto compõe uma postagem, mas não sei se alguma vez me dediquei exclusivamente ao tema.
Ética é daquelas coisas tão óbvias que esquecemos de tratar, e é algo tão fundamental no meio que até eu me surpreendi tentando rememorar as vezes que tratei do assunto e me dar conta da carência de vezes que abordei.
Uma das coisas que já falei é sobre a reserva da relação, só cabe aos dois. Não faltam motivos, até pq cada relação é própria, com características únicas.
Basta tirar algo de contexto e pronto, um novo cenário se cria, ainda mais lidando com tantas sutilezas e motivações, se cada ato tem um intuito que, na maioria das vezes, só o autor sabe, imagine então sob lentes distorcidas ou submetido a diversas versões?
Não que sempre haja intenção por trás disto, mas o fato de ter a ética norteando é justamente pra evitar "acidentes". 
Tudo bem até aqui, mas é analisando algumas situações que tudo vai ficando mais claro, a maneira com que se lida com a própria história, visto que uma história a dois não pode ser fracionada, ela pertence aos dois, boa ou ruim, não tem como separar sem que isto comprometa sua consistência e verdade. O bom disto é que, assim preservada, sempre permitirá aos dois descobrir novas faces, que só é possível pelo comprometimento, pela resistência, pela fidelidade à sua história.
A ética pode te colocar em algumas enrascadas, verdade, mas nada justifica que vc quebre a regra, suas verdades são suas, de mais ninguém, pronto. E quando falo suas verdades, falo da verdade a dois. Se tem alguém que pode trazer novos olhares é só quem viveu aquilo contigo, como se diz, o tempo tem sua sabedoria.
Certos eventos em nossa vida são como flores, um dia ela é sementinha, e fica lá, esperando as condições ideais pra florescer, e Dom planta sementinhas, mas nem sempre tem tempo de colher, se surgir uma aberração dali, talvez seja sinal que algo "traiu" as tais condições ideais, mas é um risco, não? Nem tudo segue um script, mas no fim, tudo revela o ambiente ao qual nos expomos, o que somos, e onde guardamos nossa ética.
Como eu disse no começo, me surpreende como costumamos esquecer a ética, falhamos vertiginosamente nisto. Mas não pq sejamos sem ética, é que nos distraímos, por vezes não entendemos, ficamos confusos, outras somos induzidos, sugestionados, manipulados... Mas em tantas outras vezes, agimos decididamente contra a ética, reconhecendo sua existência e optando por ignora-la.
Veja, não estou colocando aqui uma leitura radical sobre a ética, 8 ou 80, a ética flui num largo espaço de possibilidades, mas é a ausência dela que abre oportunidade pras mais variadas possibilidades de corrupção dos fatos, de história, do que somos e do que temos.
Algo vai se perder, é fato, junto com a ética.
Voltemos a história. Ela é única, própria, tem ambiente certo e condições ideias pra se desenvolver. Modifique somente uma coisinha, e os rumos podem mudar, não? Todo mundo passou por isto, certo? 
Uma história tb tem linguagem própria, ou seja, só é compreensível aos dois, concordam? As alegrias e tristezas resultam desse entendimento, dessa troca, dessa codificação, onde palavras, gestos e olhares preenchem todo o resto.
História tb tem memória, é fácil lembrar de coisas que passariam despercebidas a um mero observador, só quem vive a história, sabe da importância de cada coisa vista ou sentida, alguma dúvida?
História é, portanto, uma relação de confiança... E confiança é algo que define que, independe de qualquer coisa, mesmo que tudo acabe, aquilo que foi vivido pertence somente aos dois. E o que garante a preservação da "intimidade"? A ética.
Bonito, não? Perfeito, mas...
Quem resiste? Considerando que sementinhas foram plantadas, e cada uma delas só eram ou seriam compreendidas pelos dois, tem como um "estrangeiro" dar sentido àquilo tudo?
Eu já vi mentirem em nome da ética, e confesso que diante dos fatos, fiquei orgulhoso, pq certas habilidades de sobrevivência na selva que vivemos são fundamentais. Acima de tudo, a ética.
Se criássemos um banco de dados de histórias no meio, veríamos de maneira acachapante como histórias podem perder o sentido, como podem ser desconstruídas, como eventos tão valiosos perdem seu valor através de versões e mais versões...  Como o olhar que só cabe aos dois, quando "compartilhado" indevidamente, perde o encanto.
O pior é que muitas vezes estamos falando de lindas histórias, pq pode parecer que só histórias ruins passam por isto, mas até as mais lindas histórias são corrompidas, que pena que não saibamos cuidar de nossos bens mais preciosos...
Jamais se descuide com o que viveu, mesmo que não tenha terminado do seu agrado, o que viveu te mudou, te transformou, te fez crescer, te fez aprender, nada se desperdiça. Certamente vc se tornou alguém melhor, desde que não se permita ficar amargurando, remoendo...
Se estiver começando uma história agora com alguém, se aceitou compartilhar momentos e expectativas, se resolveu investir, confiar, em hipótese alguma falhe com isto, mesmo se já estiver no meio de uma história, jamais fuja da ética, só algo muito grotesco, ilegal, imoral pode justificar, ai sim, sem sombra de dúvidas, que quebre o cristal da confiança, de resto, se guarde, pq nas voltas da vida, sementinhas podem vingar e te oferecer novas oportunidades, novos entendimentos... A ética é guardiã de sua história e histórias estão sempre em andamento... A não ser que... o cristal se quebre...
Sua história deve ser mantida assim, sempre, SUA.

3 comentários:

lady viana disse...

Gostei do texto, como sempre foi direto na veia. Às vezes as histórias terminam de forma prematura e traumática. É difícil recomeçar... Mas aprender é uma capacidade que graças aos céus possuímos, bom eu posso constatar isso por causa própria. Um abraço.
lady viana

lady viana disse...

Gostei do texto, como sempre profundo, pegou na veia. Mas às vezes a história não acontece como imaginamos e acabamos por decepcionar o outro e é difícil lidar com o ponto final. Graças aos céus que temos a capacidade de aprender com os erros e se conseguir viver uma nova história, não errar tanto. Um abraço, lady viana

lisa SS disse...

Gostei muito do texto e amei o blog tanto que estou seguindo. Depois dei um olhada no meu blog.

http://lisasubmissa.blogspot.com.br

Saudações de lis_SS