Páginas

quarta-feira, 13 de julho de 2016

BDSM ou não?

Muita gente flerta com o BDSM, observa de distância segura, vezes com entusiasmo, outras com receio. Imagino que ultimamente mais receio do que entusiasmo.
Como é uma constante aqui no blog, falo dos que realmente percebem uma natureza Dominadora ou submissa, não daqueles que buscam sexo fácil.
A questão de se envolver com o BDSM passa, obrigatoriamente, pelo impacto que isto terá na sua vida, até pela dedicação e comprometimento que exige. Não dá pra ser pela metade.
Outro aspecto relevante é o que te sacia, se um mergulho nas profundezas de sua alma ou vivenciar isto de maneira esporádica, leia-se fetiche.
Existem várias formas de vc se realizar sem ser dentro do BDSM, que se tem lá suas muitas vantagens, tb tem suas desvantagens. Tudo envolve entender o que sufoca ou areja sua natureza.
Se estiver decidido a entrar no universo BDSM, comece por buscar aquilo que te complementa de fato, sem se iludir com receitas fáceis, imagens, livros, filmes... É roupa sob medida.
Vai errar muito, bater cabeça, se machucar, mas se persistir e for inteligente, vai se achar e ser achada.
Se nada funcionar, faça como nos jogos de tabuleiro, volte pra primeira casa e responda a pergunta: BDSM ou não?
Pq, talvez, sua felicidade e realização se encontre em outras formas, estas sim que devem ser trabalhadas, lapidadas, buscadas.
Tem gente que acha que a felicidade está do lado de fora, tem gente que acha que está do lado, a resposta é pessoal, individual, sua. O que funciona com os outros não vai funcionar, necessariamente, contigo.
A questão fundamental é que sempre será uma caminhada, de muito aprendizado e crescimento, mas sua caminhada. E se for bem sucedida na sua caminhada, experimentará coisas que farão tudo valer a pena.
Mas nada de se guiar por mapas alheios, trilhas alheias, faça vc sua caminhada, com suas escolhas, se errou, volte casas até achar o caminho certo.

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Céu BDSM

Existe um céu BDSM, existe um Olimpo.
Vc pode escolher a forma que melhor lhe convier, mas todas vão se referir a algo supremo pra quem vive o BDSM.
Tudo na vida é uma trajetória, do engatinhar até o andar, do nascer até o morrer, do estudar até se formar. Cabe a vc saber aonde quer chegar, que objetivos vai ter, mas... Sendo BDSM é preciso entender que existe algo além do que os olhos costumam enxergar.
Sim, Dominação e submissão são naturezas que afloram ou não, que são permitidas ou não, na maioria das vezes precisa ser lapidada, vivida, leva anos até vc achar seu jeito, seu gosto, começar a se sentir completo. 
Mas é só isto?
A maioria não sabe, até pq só acha que é BDSM, adota títulos, nomes mas de fato nunca pertenceu ao mundo BDSM, mas existe um patamar elevado, que poucos alcançam, onde as regras se tornam desnecessárias.
Aprendemos e entendemos que regras são fundamentais, as que norteiam o BDSM, as que criamos, as que acreditamos. Mas existe um lugar onde elas são desnecessárias pq simplesmente tudo que se vive lá é intuitivo, sem sinais, recursos, regras ou o que for.
Basta um olhar, um gesto e tudo acontece.
Mais do que isto, um lugar onde vc não precisa reprimir nada, onde vc não se restringe, onde vc é pleno.
E quando eu digo pleno, significa que tudo aquilo que vc costumeiramente deixa de fora pra não contaminar a relação, passa a ser permitido simplesmente pq não existe mais o risco.
Sem teatrinhos, sem formalidades, pura intuição, puro entendimento dos papéis e entrega a eles.
Bonito, não? Mas não se apresse, saiba que é pra poucos, diferente do BDSM usual, não adianta se autodefinir membro e pronto. Se BDSM é um clube, pode apostar que existe uma área VIP, que não se alcança com carteiradas, que não se alcança pq se viveu quase toda sua vida lá, mas pq vc evoluiu.
Naturezas são, já dizia Darwin, evolutivas, quem evolui passa a ter outras necessidades, outros complementos, outro universo entorno de si.
Quem é de fato BDSM entenderá o que eu digo, até pq se tem amostras disto durante sua trajetória, episódios aqui e ali, mas o filme todo é pra poucos.
Muitos vão falar, contar histórias, mas se é fácil perceber quem não nasceu pra coisa (o blog está cheio de textos sobre isto), mas fácil é perceber quem realmente dominou sua natureza, seja sub ou Dom, pq o céu BDSM só cabe a quem de fato entendeu as nuances de sua própria natureza.
Pra varia, sempre tem um complicador, achar o par certo, se estamos falando de algo ainda mais seletivos, já sabe, sua vida BDSM pode acabar sem chegar ao céu.
Qto a mim, sou e continuo sendo um observador, com minhas histórias, vivências e segredos.

* Não é de hoje alguns de meus textos são utilizados em perfis sem a menção da devida autoria, gente que tenta usar isto pra se substanciar. Se ver algo assim, por favor, denuncie. Tb é bom lembrar que é fácil identificar ocorrências assim, basta testar a coerência dos supostos autores.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Agradecimento

Costumo dizer que o Dom (ou a sub) está em nós, só a espera de brotar, da oportunidade. Da mesma maneira, mesmo quando nos afastamos, continua lá. Talvez a diferença é que ele "adormeça" bem resolvido, saciado. 
Portanto, não cabe despedidas, mas reconhecimento.
Foram muitos anos de BDSM, de Dominação, de erros e acertos, de alegrias e tristezas e que foram ganhando seu lugar na história, numa transição sútil, tranquila.
E olhando para trás (ou observando) acho graça de algumas coisas, me surpreendo com outras, acho admirável o qto foi possível evoluir, viver isto tudo mas, nada disto seria possível, sem cada uma das pessoas que caminharam comigo.
Saibam que em tudo aprendi algo, mesmo quando tudo parecia rápido, mesmo quando tudo parecia turbulento, até quando era desagradável, desgastante, mas cada contato, cada conversa, cada ato foi servindo pra me moldar, amadurecer, me tornar o que fui.
Difícil aqui agradecer cada uma dessas pessoas que nem devem ter se dado conta de terem deixado algo pra mim, mas que saibam de alguma maneira (cedo ou tarde) que não seria nada sem elas.
Algumas vezes as coisas não deram certo ou não evoluíram, sei que algumas se frustraram, criaram grandes expectativas mas não aconteceu. Sei que não foi fácil, mas eu sempre dizia: o tempo vai ajudar a entender. E nem sempre é preciso ser Dono, estabelecer relação para deixar algo, plantar, construir. 
Sempre é doloroso o processo, mas muitas vezes é necessário e, que saibam, nunca passaram desapercebidas ou menores, acreditem, mesmo quando não acontecia, ainda assim foram especiais. 
Não é a coleira que transforma, é o entendimento, é uma busca, é a interação e como ela se dá. Sei, vão dizer que ainda assim, a coleira seria o prêmio, concordo. mas não deixem de valorizar as outras conquistas, nunca. Vcs tb foram parte de minhas construção.
Como é de se imaginar, uma trajetória não é feita só de flores, vira e mexe alguém te olha atravessado, se incomoda, vai lá entender a natureza humana. Não é preciso pisar no calo pra despertar lados obscuros do ser humano. Mas chega uma hora que vc se dá conta: Nossa!!! Vc conseguiu... Não a vitória, mas a capacidade de lidar, de seguir em frente, de continuar íntegro.
Se tem o desgaste, tem o fortalecimento, tem te colocar à prova, te fazer crescer, não tem como chegar a lugar algum sem isto, é vasta a literatura para falar do qto nos tornamos melhores através das dificuldades, pois é, verdade.
Com o decorrer dos anos, com aprendizado, amadurecimento fui encontrando aquelas que me serviram, impossível não abrir um sorriso ao lembra-las. Nossa, como foram fantásticas comigo, como me serviram tão bem, como me realizaram.
Sou muito, mas muito grato a cada uma delas, as minhas "mocinhas".
Em todas eu vi transformação, em todas eu vi submissão, em todas eu me realizei como Dom.
Sim, sinto saudade, mas tb orgulho, alegria, uma sensação de completude.
Confesso que algumas foram deliciosas surpresas, começaram tão suavemente, ganharam corpo, entrega e, de repente, afloraram grandes subs.
Vivemos, eu e vcs, lindos momentos, plenos, saímos bem maiores do que entramos, vcs foram e são muito especiais.
Talvez eu tenha falhado na capacidade de dizer à vcs, demonstrar à vcs o quão importantes foram. Mas nunca é tarde... Ainda que ache que falte algo.
O Dom continua aqui, Observando, escrevendo menos, conversando pouco, mas aqui. 
Para cada pessoa que fez parte de minha trajetória, muito OBRIGADO!!!


quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Lamento

Mundo estranho.
Vc tem a mulher de natureza sub que não consegue dar o passo decisivo e a mulher, que de sub não tem nada, que desfila por ai se autoproclamando uma.
O sexo é um mundo bem maior do que qualquer coisa, abriga de tudo e de todos e, justamente por isto, justifica muita coisa.
Mas, num mundo imperfeito como o nosso, não dá pra esperar que tudo saia conforme a cartilha: BDSM pra praticantes, fetiches para os adoradores, sexo casual para quem assim deseja, sexo amoroso para os românticos, etc.
Até pq, convenhamos, nem todo mundo tem compreensão exata do que se passa e sente.
A questão é que tudo é tão corrompido que até vc acaba tb corrompido, se não de alma, de suas convicções.
Difícil se manter por tanto tempo em algo que te mina, desgasta, se transformou em batalhas diárias.
Por um tempo vc aguenta o tranco, as recompensas se sobrepõe, claro, desde que vc tb seja bem flexível qto a isto.
Uma hora vc se recolhe, retoma o olhar para as outras coisas valiosas da vida que, se vc for inteligente, jamais deixará de lado.
Legal se isto ocorrer quando vc já viveu de tudo, já atingiu seu ápice dentro daquilo que acredita, que escolheu vivenciar. Nem sempre é assim.
Óbvio, tb, que seria uma vida de dedicação mais longa se houvesse mais "pureza" no processo. Subs sendo subs, Doms sendo Doms...
Mas tá difícil, a vulgaridade e falta de senso imperam, a putaria tomou todos os espaços... Não se vê mais a elegância, a finesse...
Sei que é conversa velha, assunto já amarelado pelo tempo, mas sempre que olho "por ai" me desanimo profundamente.
Já escrevi textos inspiradores (ao menos no intuito), outros de alerta, mas hoje penso: pra quem?
Devem ter uns "dinossauros" que me visitam, dão uma lida, suspiram concordando, e navegam para outras páginas. Não os condeno.
Gente de bem que foi repelida pela "força maligna" que tomou tudo.
Há quem ache tudo isto natural, é isto mesmo e pronto. Até acho que sexo exacerbado é sim uma forma de Dominação/submissão, mas não a única.
É como se as rádios, todas, só tocassem o mesmo gênero, sufocando qualquer coisa diferente.
Sempre digo que somos subs ou Doms desde que nascemos, até que um dia a vida nos cobra uma decisão: assumir ou não. Queira ou não queira, vc sempre será o que sua natureza te impôs. Não existe o quanto tempo se é, mas sim há qto tempo que vc assumiu seu papel. Mas, da mesma maneira que um dia vc assumiu as rédeas, chega o dia de saltar do cavalo.
Não sei pra vcs, mas espero que pra quem já saltou, que tenha sido no momento certo, que tenha colhido realizações, felicidades... É duro ter se aventurado sem ter colhido frutos. Mas tb não posso dizer: persista. Hoje não posso assegurar que vai encontrar o que busca.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Morto!!!!

O BDSM, em sua essência, é o encontro entre Dominantes e subservientes. É este encontro que justifica sua existência. E é a raridade de encontrar afinidades, complementos que praticamente obrigou o BDSM a existir.
Dito isto, devemos excluir da essência do BDSM qualquer outra motivação que não seja a de Dominar e/ou se submeter. 
Não se deve buscar no BDSM compensações pra vidinha comum, pros fracassos, pras nulidades baunilhas. BDSM não é um clube de sacanagem. BDSM não é um lugar onde qualquer um se intitula alguma coisa, desanda a repetir "conceitos" decorados e pronto, já sai colhendo frutos.
BDSM muito menos é algo que tenha lido em livros de ficção ou em filmes.
BDSM é real e trás consigo os pesos e dores de algo de tal relevo mas, como todo corpo saudável, é sujeito a doenças, estragos, corrupção. E, pelo que vejo, já se contaminou.
E o estrago é tão grande que células saudáveis estão sendo "expulsas", não encontram mais espaço no meio.
A putaria se instalou. 
Tem de tudo: carentes, aventureiros, fracassados, safados, vadias(os), oportunistas, criminosos, etc...
O BDSM, que nasceu para acolher, não criou barreiras, não se protegeu (nem deveria), morre corrompido por aqueles que deveriam ser abrigados.
Não sei se ainda posso me dizer do meio, não sei se consigo envergar qualquer bandeira, talvez por isto cada vez mais fique em silêncio. 
Talvez o BDSM sobreviva em cada um de nós, rebeldes, a "Resistência", que acabe se encontrando em lugares secretos, protegidos, puros... Mas cada dia faz menos sentido falar em BDSM, se tornou outro corpo, amorfo.
Se vc tem a essência, de fato, uma sugestão: sobreviva. As ameaças e riscos estão por todo lado, querendo te consumir, sua energia, fé, convicção. Cuide-se, se proteja, fique alerta.
Confie desconfiando, redobre os cuidados.
Se assim o fizer, perceberá quando encontrar seus pares, o BDSM legitimo, real, são.
Talvez a gente ainda resista em aceitar o fato mas, talvez, o BDSM como conhecemos já tenha morrido.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Sexo fácil, mascarado de BDSM

A história mais comum...

Mulher na faixa dos 30, que encontra um cara com bom discurso, que sabe o que dizer e quando dizer, fala de BDSM, das vantagens, mostra seriedade, etc.
Diz que não é sexo pelo sexo, coisa e tal, que envolve uma série de coisas, até mais importantes que sexo.
Mas, no dia a dia, não tem preocupação nenhuma em te ensinar nada, cuidar de vc, te preparar. Vc continua crua, nem mesmo etiqueta pro meio vc tem.
Logo ele já está colocando em prática suas fantasias e fetiches, menages, surubas, etc., manda vc buscar irmã de coleira, sair à caça (por ele).
Quanto mais suscetível vc for, mas ele se dedicará à vc, mas ele se fará presente, convincente, mas assim que vc começar a criar dificuldades, ele vai começar a inventar histórias, problemas em casa, com família, trabalho, talvez alguma viagem de negócio.
Mas antes disto te cercará por todos os cantos com perfis falsos, se passando até por subs. São maneiras de te analisar, induzir, sugestionar.
E vc, fragilizada na vida pessoal, vai ser o alvo perfeito.
Pior...
Vai fazer de tudo pra minar ainda mais sua vida pessoal, não perderá a chance de encontrar defeitos no seu parceiro baunilha, falar que o sexo pode ser melhor que o que vc tem, falar de cuidados, carinho, talvez até seja bem romântico nessa fase.
Vai te ter nas mãos...
Mas se dentro de determinado prazo, nada rolar, ele pula fora, busca outras...
Meticuloso, trabalha cinco, dez mulheres ao mesmo tempo, se duas ou três toparem, se dá bem.
Ainda terá sexo como não teria em condições normais, com mulheres que não teria, sem precisar dar algo em troca, só receber dentro de um cardápio variado.
Mas não pense que só os homens fazem isto, as mulheres tb, se fingem de sub, doidinhas pra dar, sexo seguro, pq, no fim, é isto, sem romance, direto ao ponto.
Enquanto vc faz doce, não duvide que ele comeu algumas de suas "amigas", aquelas subs tão confiáveis com quem vc conversa, compartilha sua história.

BDSM?
Não, só gente esperta querendo se dar bem...