Páginas

quarta-feira, 21 de março de 2012

terça-feira, 20 de março de 2012

O Aprendizado do Dominador.

A capacidade de um Dom aprender com o processo de dominação, na interação com sua sub e a maneira que transforma este conhecimento em ação é o que lhe permite ser bem sucedido no papel que exerce.
Justamente esta virtude de processar o que absorve que o torna capaz de transmitir e conduzir uma sub.
Muito se diz, e é uma verdade absoluta, que a sub é uma eterna aprendiz dentro da relação, mas pouco se valoriza o aprendizado do Dom, como se ele já nascesse pronto pra missão de Dominar.
Não é bem assim, da mesma maneira, não existe manual, regras a serem seguidas. Cada um deve usar de suas qualidades pessoais para ganhando forma, a partir dai, e sempre de maneira dinâmica, ir absorvendo mais e mais a cada nova fase, a cada nova relação.
Tb é preciso entender que é um processo linear este de aprendizado, pq pular de galho em galho caracteriza o curioso, a busca por algo ainda não definido. Pode até fazer parte dos primeiros passos, mas estabelecida a caminhada, cabe se aprimorar naquilo que escolheu e onde se sente bem.
Quanto mais aprende, mais se torna capaz de transmitir, quanto melhor e maior for esta capacidade, mais a sub tem a ganhar.
Não significa que a relação perfeita só se dê na maturidade do Dom ou de sua sub, ao contrário, todas as fases são ricas e inesquecíveis, devemos sim aproveitar todas, devemos valorizar a relação e as trocas que ocorrem, reconhecendo que ambos ganham e transmitem ao outro, a relação só tende a crescer e oferecer todos os belos momentos que tanto almejamos.

quinta-feira, 8 de março de 2012

O Grande Equívoco.


Se existe algo constrangedor é a leitura baunilha lançada sobre o BDSM. Quando visto de fora, vira um show de aberrações e atrações pra lá de peculiares. Tanto é que a maioria de nós prefere manter bem guardadinho o que somos e fazemos.
No entanto, nada supera a leitura baunilha dentro do próprio meio, considerando que temos regras próprias de convívio e relacionamentos, ter uma leitura abaunilhada só causa distorções e, muitas vezes, danos.
Expectativas, desejos, vontades que surgem pela leitura equivocada, pelo entendimento distorcido produzem desdobramentos costumeiramente ruins.
Por outro lado, ao bom observador e aprendiz, acaba sendo uma ótima oportunidade de crescer, evitar os erros, construir algo sólido e que te faça tomar decisões com maior chance de acerto, algum grau de sabedoria.
Muito se fala do BDSM, de gente tirando proveito do meio, mas a maioria aponta pra fora, não vê a própria contribuição para que isto aconteça.
É como diz o velho ditado: "Quando apontares para alguém, lembre-se que outros quatro dedos apontam para você".
Claro que ninguém é imune ao erro, mas não aprender é burrice (outro bom e velho ditado).
O BDSM existe com suas regras para proporcionar a cada um de nós a chance de viver necessidades que, costumeiramente, são fortes o suficiente pra nos tirar da zona de conforto. Mas não é espaço para namoricos, casinhos, aventuras sexuais. Todos aqui em algum momento defenderam estes argumentos, no entanto, quantos foram além da palavra?
O BDSM é uma ótima experiência, acrescenta muito, promove grandes mudanças em seus praticantes, desde que seja praticado o real BDSM, senão vira placebo.
Quem está aqui pra joguinhos sexuais jamais vai entender o que realmente move alguém dentro do meio e eu lamento. Mas, o mínimo que se espera, é respeito. Já não bastasse ter que lidar com a leitura que vem de fora ainda temos que lidar com os equívocos dentro do meio?
Quem entra num mundo tão intenso sem ter o menor preparo? Que loucura é esta de se aventurar em algo reconhecidamente arriscado e intenso e não se prepara para isto? Não dá pra ficar interpretando tudo com a mesma ótica lá de fora, do mundo baunilha, convenhamos.
De nada adianta ter um discurso afinadinho, bonitinho, para inglês ver se na hora H vc falha clamorosamente. O que não falta é telhado de vidro.
O pior que ao menos nisto a vida baunilha nos ensina bastante, a ter prudência, a ser coerente, a observar mais e melhor, a ter cuidado com as próprias ações, etc...
Existem bons praticantes, mas cada vez mais escassos, tão diminutos em quantidade que logo deixarão de fazer parte já que uma nova ordem começa a se encorpar e ganhar espaço dentro do meio, criando um híbrido de BDSM com baunilha.
Mas não se preocupem, como é há séculos, o BDSM de verdade encontrará seu lugar, viverá para todo o sempre, pena que até lá muitos deixem de viver as belezas e a riqueza deste meio tão profundamente encantador.