Aqui e Ali

Vira e mexe eu passo por aqui, releio algumas postagens, revejo os comentários e chego a uma conclusão: Estou bem acompanhado. Sempre estive.
Claro que a trajetória nunca é fácil, me mostre alguém que diz que não sofreu e eu direi que não vivenciou o BDSM real.
Até pq, o aprendizado, por si só, já é duro, então...
Na postagem anterior eu deixei (e ainda deixo) em aberto a possibilidade das pessoas falarem de suas experiências preservando sua privacidade, ao ler vejo o quanto as pessoas ficam marcadas mesmo após se afastarem, como é meu caso.
É importante que tenham noção de importância, a relação pode exigir decisões difíceis, mas jamais vai ter como significado importância menor.
"Ah, mas é fácil usar o argumento da decisão difícil..."
Verdade, mas o tempo responde e, imagino, muitos já se deram conta disto, tb...
Eu, sinceramente, torço pra que aqueles cujas trajetórias se cruzaram com a minha tenha vivido bons momentos, apesar dos percalços. Às vezes nos conhecemos no momentos embrutecidos, outros, nos momentos de euforia e encanto, mas sempre tentava passar pro realismo, não deixar se perder da caminhada.
Em algum momento, portanto, a caminhada deveria proporcionar o encontro das respostas, da verdade e, em alguns casos, do experimento real do que é BDSM... Mesmo que, como dizia Vinícius, "que seja eterno enquanto dure..." 
Se vc está lendo isto agora, revivendo lembranças, tente usar a ótica das coisas boas, ver que por caminhos tortos vc cresceu, aprendeu, se tornou alguém melhor. 
Talvez se arrependa de algumas escolhas, mas talvez não fosse o momento, só isto. BDSM é um eterno teste, vc sempre se provando merecedor... Não cabe o "ir se divertindo com o errado enquanto não encontra o certo", exige paciência, filtro, mudança de olhar, uma série de coisas que te preparam pra vôos maiores...
Voltando pras minhas releituras, postagens são como iscas, às vezes são os comentários "fisgados" que trazem a maior sabedoria, então, tentem ir além...

Comentários

"Depois de um tempo você aprende
a sutil diferença entre
segurar uma mão e acorrentar uma alma
e você aprende
que amar não significa apoiar-se
e companhia não quer sempre dizer segurança
e você começa a aprender
que beijos não são contratos
e presentes não são promessas
e você começa a aceitar suas derrotas
com sua cabeça erguida e seus olhos adiante ..., não a tristeza de uma ciança
e você aprende
a construir todas as estradas hoje
porque o terreno de amanhã é
demasiado incerto para planos
e futuros têm o hábito de cair
no meio do voo
Depois de um tempo você aprende
que até mesmo a luz do sol queima
se você a tiver demais
então você planta seu próprio jardim
e enfeita sua própria alma
ao invés de esperar que alguém lhe traga flores
E você aprende que você realmente pode resistir
você realmente é forte
você realmente tem valor
e você aprende
e você aprende
com cada adeus, você aprende"

Postagens mais visitadas deste blog

Conselho do Dia

Postura.