Reflexão do Dia.

Muito se diz que a sub deve obedecer seu Dono quase cegamente (alguns omitiriam o "quase"). Mas é evidente que a sub deve confiar em seu Dono afinal a entrega pressupõe tal confiança.
Ainda assim, muito se oscila diante da ordem dada, diante da condução do Dono.
Mas se a sub aceitar ser conduzida (apresentada) a um novo universo, não conhecido por ela e que, muitas vezes, modifica a própria leitura da vida baunilha, pq questionar, duvidar, vacilar?
Quando partimos para novas descobertas, precisamos de guia, no BDSM este guia é o Dono, a sub se entrega ao Dom na expectativa de que vai se descortinar um universo novo cheio de novas leituras e abordagens. Mesmo sendo tão claro isto, são frequentes os casos onde a sub trava.
Para facilitar a reflexão, vamos eliminar da equação as relações oportunistas, maldosas e que não seguem os preceitos BDSM, nesses casos não é rebeldia e sim bom senso.
Existem as respostas fáceis: medo, insegurança, cultura, aprendizado, erro de condução, erro de leitura, circunstâncias, etc. Apesar de serem fáceis, não significa que não são verdadeiras, mas o intuito é ir mais longe, se aprofundar mais.
Afinal, o que faz uma sub travar diante de uma ordem/condução do Dono?

Comentários

Pequena... disse…
Bem, antes de tudo acho que por baixo de uma sub (ou acima, não cheguei a uma conclusão ainda.) existe o ser humano. E naquele meio tempo, entre receber uma ordem e executa-la, existe o pensamento racional, de questionamento; de querer saber o "porque", o "para que".
As pessoas gostam de saber as finalidades, mesmo que não vá fazer muita diferença na realização de uma tarefa.
E com meu Dono, na maioria das vezes não consigo entender o "porque" de algumas ordens e isso me incomoda um pouco.
Mas em contrapartida, sei que esses questionamentos não ocorrem por falta de confiança nele.É muito difícil se descobrir sub e mais difícil ainda é aceitar se abandonar aos cuidados de outra pessoa.
Ao mesmo tempo que amo e me curvo ao meu Dono, confiando quase cegamente (a maioria também não usaria o "Quase"),tenho medos que me fazem querer questiona-lo, cometendo assim o mais básico dos erros.
E dói saber que causou desapontamentos ou decepção.

Este talvez seja um grande aprendizado...

Beijos Sr.
Anônimo disse…
Saudações,

Sou um Dom iniciante mas estudo muito, e tenho uma sub. Juntos vamos tentando formar e aprimorar nosso conhecimento no BDSM, cada qual dentro do que adotou para si.
E, justamente através de minha sub cheguei aqui, ela é leitora de sua sub atena, ao qual foi o blog que me deu condições de chegar neste. Os textos que sua submissa escreve são um excelente aprendizado para subs, é uma leitura que agrada-me ver minha sub fazer. No seu local não difere em aprendizado, porém acredito aqui ser de aprendizado também para Doms, principalmente os que buscam sempre aprender, evoluir .
E dentro disto e de seu texto, gostaria de indagar algumas questões:
O obedecer "cego" da submissa não restringe sua verdadeira essência como ser humano?
Travar perante uma ordem não seria uma leitura equivocada por parte do Dom, que deixou em algum momento algo lhe escapar aos olhos?
Sua submissa atena lhe obedece sempre "cegamente"?
Esse texto na verdade foi um desabafo a algo ocorrido dentro de sua relação com sua submissa? Algo lhe escapou ao olhar com ela?

Agradeço as posteriores respostas, muito ajudam a elucidar e traçarmos caminhos nesta longa caminhada que é o BDSM.
Espero em breve sua submissa escreva mais textos, e que aqui continue também está grande fonte de informações.

Grato pela atenção,
Trevis
Um observador disse…
Meu caro Trevis,

Oportunas suas perguntas, e responderei com prazer.

Bom, não sou adepto do obedecer cegamente, acho que não existe aprendizado sem relfexão, observação e a boa e velha conversa, sempre respeitando o papel de cada um.

Travar é parte do aprendizado mas, claro, pode apontar para uma falha do Dom, mas devemos lembrar que o Dom pode provocar intencionalmente a trava para através dela produzir aprendizado. A leitura é essencial, mas sem dúvida os dois ganham com isto, exceto se a trava for simples falta de submissão ou de adequação à relação.

Não tenho sub no momento, atena explica melhor no próprio blog quando explica seu afastamento para aproveitar oportunidades pessoais que surgiram e que, como bem sabemos, não se devem desperdiçar, mas tanto ela quanto outras subs que me serviram jamais me obedeceram cegamente ou foram cobradas a tal, obedeceram sim e de maneira exemplar, mas como processo de conquista e amadurecimento, não um mergulho irresponsável no escuro. Pra ser sincero, me incomodaria se isto ocorrese pq, como disse acima, valorizo muito a inteligência e toda troca que ela proporciona.

E, finalmente, não é um desabafo, se eu condeno quem expõe a relação seria incoerente fazê-lo, questões internas se resolvem entre os dois, o nome do blog já te responde, são observações e reflexões, conversas aqui e ali, relatos, discussões que acabam se destacando e merecendo um tratamento diferenciado, no caso, uma postagem colocando em discussão, promovendo a reflexão.

Espero ter ajudado, mas creio que outros tb fizeram as mesmas perguntas e foi bom esclarecer.

Espero que seja tão feliz quanto eu tenho sido no meio, tendo a felicidade de conduzir subs que venham a fazer parte de sua história.

Abraços,
Eros.

Postagens mais visitadas deste blog

Frase da semana.

Postura.

Cadelas...