Páginas

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

O que é uma sub com Dono, mas sem coleira?

É uma situação inusitada, sem dúvida. Mas o que causa tal fenômeno?

Bem, acho que N razões podem ser levantadas, mas meu foco é outro.

É conhecido por todos, mesmo os iniciantes, que toda relação no BDSM deve ser consensual, assim como toda a relação deve ser cordial.

Como o BDSM é complexo, cheio de variáveis, se chegar a um acordo que leve a se estabelecer uma relação é complicado, mas é essencial percorrer estes caminhos para que não haja frustração e a relação seja plena.

Outro aspecto distinto do BDSM é que as relações são e devem ser maduras, ou seja, não devemos passar por cima daquilo que consideramos relevante pra se estabelecer relação, não devemos nos abrigar em uma relação que, sabidamente, não completa aos dois.

Partindo destes pressupostos, os adeptos do BDSM mantém relações cordiais e respeitosas, mesmo quando anteriormente viram suas expectativas frustradas por falta de um acordo, mesmo que não haja coleira unindo os dois.

É fundamental respeitar estas prerrogativas de ambos, para que a relação flua naturalmente.

E quando isto tudo dá errado? Quando acontece uma distorção?

É complicado lidar, e é uma pena que isto aconteça, pq boas relações se perdem quando um perde os referenciais.

Sem estes referenciais só temos ruídos, travas, obstáculos que trazem desconforto a uma das partes ou às duas.

Uma relação não pode se basear em expectativas, não se pode adulterar fatos, não se pode vender a alma pra se atingir objetivos.

Reconhecendo a impossibilidade da relação idealizada se tornar real, nos dediquemos a torná-la melhor possível dentro das circunstâncias, ou seja, cordial e respeitosa.

Atropele isto e vc se arrisca a perder tudo.

Não devemos ignorar sinais, alguns tão claros, não devemos nos fechar pra outras oportunidades dedicando todos os esforços pra algo que provavelmente não irá se concretizar.

Supondo que uma das partes tenha suficiente bom senso, identificará aquilo que é real daquilo que é fictício, e não deixará que a verdade se perca, mesmo quando a outra parte não se importar com isto, mesmo quando a outra parte começar a ver ou criar novas verdades.

Muitas vezes metemos os pés pelas mãos, tentamos ser aquilo que os outros esperam, passamos a crer que algo de errado existe em nós e devemos mudar. Mas não...

Incompatibilidades existem, de todo tipo. Não devemos ignorá-las.

Lembrando que apesar das diferenças, é possível se respeitar escolhas, posturas, estilos, etc.

Incompatibilidade não significa negação, desaprovação.

O que não se pode ser nem fazer, é tentar mudar a própria natureza pra satisfazer alguém, o que não se pode fazer é perder o amor próprio.

Recebemos negativas durante toda a vida, muitas vezes por não sermos compreendidos, muitas vezes pq não soubemos nos explicar, outras pq não era oportuno ou cabível, tantas outras pq era simplesmente um erro, algo inadequado, mas muitas vezes, muitas mesmo, pq detalhes criavam incompatibilidades.

Uma sub e um Dom em negociação, na maioria das vezes, encontram incompatibilidades, nas suas tentativas, em quantas realmente houve um encontro de afinidades?

O BDSM, visto por este lado, é uma sucessão de fracassos, a maioria dos contatos que se iniciam terminam em nada, no máximo numa bela amizade.

Pq ainda é difícil aceitar?

Agora, vale à pena vender sua alma, se adulterar pra se enquadrar? Convenhamos, toda fraude um dia é descoberta...

Tb não vale à pena criar expectativas, muitas vezes a falta de afinidade é derradeira, definitiva, ou vc espera que aquele Dom admirável seja suscetível a mudanças radicais de humor, gosto ou temperamento?

Táticas baunilhas, num BDSM sério, não funcionam, não adianta usar todo seu charme ou manha que as coisas não mudarão, desde que os fatos da incompatibilidade sejam verdadeiros e bem entendidos.

Não perca a oportunidade de manter boas amizades, de tê-las por perto só pq esperava mais, não jogue as chances fora, não atropele as verdades, ainda que haja incompatibilidades, é possível manter relações cordiais e respeitosas, muito proveitosas por sinal.

Tem forças que devem ser respeitadas, não condenadas. Respeitar a individualidade de cada um, a sua e a dele é fundamental. Não se força nada, não se ocupa um espaço que não foi concedido ou permitido, ainda mais no BDSM.

Insistir em fazê-lo só cria conflito.

Não deu certo, viva aquilo que é possível, certamente será melhor do que viver num eterno ruído.

Como diz o ditado: Antes um pássaro na mão do que dois voando.

3 comentários:

{jhessy}SANTIAGO disse...

saudações,
agradeço por excelente leitura.
{jhessy}SANTIAGO

Desirelle disse...

Olá Sr. Reflito. Interessante esclarecimento... e em boa hora. Grata.

Casa de Mariah disse...

"O que não se pode ser nem fazer, é tentar mudar a própria natureza pra satisfazer alguém, o que não se pode fazer é perder o amor próprio."

Não se pode enganar todo mundo o tempo todo...