Observações atuais.

Todos nós, praticantes do BDSM, sabemos bem o significado da palavra consensual, nos envolvemos em relações aceitando as regras estabelecidas para o funcionamento dela.

Mas antes de se estabelecer relações, é importante conhecer o BDSM, afinal, a natureza é “selvagem”, o BDSM é o meio para domesticá-la.

Se o BDSM é um imenso guarda-chuva que contempla e abriga várias práticas, tb é de conhecimento notório alguns princípios que norteiam cada tipo de relação, mas pq este conhecimento teórico acaba fazendo pouca diferença na realidade?

Tratarei de duas situações que se tornaram corriqueiras.

Vejamos, por exemplo, a Dominação Psicológica, partindo do pressuposto válido de que cabe ao Dom cuidar, proteger, orientar de modo que a sub amadureça e se fortaleça como sub e mulher e que, assim, o Dom se beneficie destes ganhos de qualidade na servidão.

É possível, para ter sucesso neste tipo de relação, ter muitas subs? Canis e afins são cabíveis?

Ou vc tem muito tempo livre, praticamente o dia todo ou, o que eu acho, é impossível se atingir a plenitude da relação.

Mas...

Retornando ao consensual, se os envolvidos numa relação deste tipo, ou seja, com vários envolvidos, abdicam de alguns direitos, deixam de lado algumas condições para obter vantagens que consideram mais relevantes, poderão ter, dentro do modelo proposto, a plenitude.

Mas observem que passamos a falar de uma variante, consensualmente aceita.

No entanto, criar a expectativa de que é possível atingir a excelência da Dominação Psicológica tendo um catálogo de subs a sua disposição sem abdicar de nenhum pressuposto é vender uma ilusão, é marketing que visa beneficiar exclusivamente o autor da façanha.

Outro aspecto que chama a atenção, mas merece que sejamos justos, a face do falso BDSM não se dá só entre os Doms, muitas subs não tem o menor comprometimento com BDSM, aceitam qualquer coisa, se utilizam de quaisquer artifícios para atingir seus objetivos, não contribuem e nem acrescentam em nada ao meio.

Tenho ouvido mais reclamações sobre subs do que sobre Doms, sempre há um senão, uma observação, subs que falam e criam fatos, mentem, adulteram, fingem, traem, tem crises (doentias) de ciúmes, fazem ameaças, tentam minar relações estáveis, falam mal até de quem não conhecem, fazem insinuações infundadas, investigam vidas alheias só pra subsidiar fofocas, ou seja, não só agem como baunilhas, mas o fazem pelo pior lado baunilha.

Então vou repetir uma colocação minha: quem não pertence ao meio não merece as nossas proteções. Não há pq preservar, ser cordial, elegante, etc. com quem só vem criando problemas, enfraquecendo o meio. É este “em cima do muro” que vem mantendo entre nós gente que só vem minando a seriedade do BDSM.

Não adianta criar lista negra, adianta ter atitude, adianta agir com maturidade e responsabilidade, dentro do que se espera de um praticante, fazendo o seu papel. Quem não é BDSM mas se utiliza do BDSM, deve morrer abraçadinho, mas longe do BDSM.

Entramos pro BDSM e abdicamos de algumas lógicas baunilhas, fizemos uma escolha, não é possível enfraquecer nossa Dominação pq a sub é gostosa ou deixar de lado sua verdadeira submissão pq o Dom é um espetáculo.

Convenhamos, nem cabe descrever BDSM com estas palavras. Mas é o que vem acontecendo, às vezes claramente, outras nas entrelinhas...

O BDSM é cordial, mas é cordial e respeitoso com quem está dentro, não justifica agir assim com quem afronta o meio.

Existem inúmeras situações acontecendo e me surpreende que são tratadas como legítimas, ou se conhece pouco o BDSM ou se tem sido muito permissivo com qualquer coisa que se autonomeia BDSM.

No fim, todo mundo fica “chorando” as coisas ruins que testemunham ou são vítimas. Onde está a atitude? Faz algum tempo que não tenho uma boa conversa sobre BDSM, com trocas de informações, discussões, aprofundamentos.

Mas lembrem-se, quem entrou pro BDSM, aceita um estilo de vida, se adéqua a uma postura, não cabe ficar fazendo fofoquinhas, batendo boca, entrando em briguinhas infinitas, cabe agir com elegância e firmeza, não dando espaço pro falso BDSM.

Algumas atitudes são reveladoras, e devem ser tratadas com seriedade, para o bem do BDSM.


Obs.: Cuidado se a carapuça te serviu. ;-)

Comentários

mary_submissa disse…
Uma questão bem complexa, devendo ser tratada de forma adequada. Percebo estas variantes que em nada contribuem ,pelo contrário disceminam idéias falsas preconceitos, fofocas e atitudes diversa ao meio BDSM. Devemos manter firmes as nossas convicções , e deixar a carruagem passar.Afinal não existe concenço em lugar algum ,aqui não seria diferente.
Sdações {mary}_DM.
Senhor Observador, saudações SM!

De blog em blog, encontrei o teu. Uma boa página, com textos bem redigidos e educativos, inclusive.

O meio SM apenas reflete o que vive o ser humano seja lá qual for o meio que faça parte.
Assim, se a seriedade faz parte das nossas convicções, se a responsabilidade permeia nossas atitudes no mundo baunilha, com certeza estará presente em qualquer estilo de vida e em qualquer meio que frequentemos.

O problema nunca foi o SM, o problema é o animal humano, cada dia mais "deslumbrado" e menos comprometido, infelizmente.

Resta-nos cuidar de aprimorar nossa postura e nos dedicar a cumprir com excelência o papel que nos destinamos neste mundo mágico de prazeres. Quanto aos "outros", tenha a certeza que não chegam a causar a menor sombra sobre os que verdadeiramente vivem a filosofia SM.

Desejo ao Senhor muitas alegrias, assim como desejo a todos.

Abraço respeitoso!

DEXPEX_{Amar Yasmine}
Íris disse…
Olá,é minha primeira vez em teu blog.Leio e busco algo no meio ha uns bons 15 anos,na realidade..hj refletindo sobre minha vida,notei que desde criança já experimentava certo interesse.Enfim...Tu sintetizastes em teu texto bem o q venho observando.Antes era algo super sigiloso,pessoas escolhidas a dedo e SDMS era super sério.Hj ta essa suruba geral,uma putaria descabida..desculpe os termos mas ñ consigo achar outros. E sinceramente vendo o q rola por aí, acho q estava melhor antigamente. Tenho mil dúvidas e curiosidades, mas não me atrevo a dividí-las pois a maioria que se auto-intitula Dom,Sub,Escravo,etc nunca sequer leu 1 livro mais "técnico" sobre o assunto, ñ conhecem metade dos termos, ou sequer vivenciaram algo verdadeiro. SDMS ficou resumido a um swing sem limites.A primeira coisa que te perguntam é teu tipo físico, avaliam dos pés à cabeça se és gostosa,depois se topas fazer de tudo sem camisinha e grupal e pergunto:Cadê a essência da história..o q te levou até ali,etc?? Ao menos aqui no Brasil está assim, essa confusão geral.Ou eu estou muito errada no que entendo por SDMS(e se for o caso por favor,me elucide:femwolf7@hot..) ou realmente ta brabo.Pq pra mim SDMS sempre foi muito mais que sexo..sexo era a recompensa ou perto disso,mas nunca o principal. O foco eram os limites,o conhecimento e crescimento mútuo,algo muito mais profundo e psicológico.Desculpe a indignação e desabafo..to é cansada de tanta falcatrua e triste por ver que só no exterior poderei achar minhas respostar.Se achar.. =/
Casa de Ladonia disse…
Muito vejo sobre BDSM, alguma coisa que leio aqui ou acolá. Certo é que de tudo que vejo, muita coisa estou certo que são puramente colóquios flácidos para acalentar bovinos. Eis que me deparo com algo de conteúdo, escrito de maneira séria e muito bem medida. Parabéns pelo trabalho.

♠ Lestat D'Ladonia
CEO - www.confrariabr.com.br

Postagens mais visitadas deste blog

Frase da semana.

Postura.

Cadelas...