Páginas

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Discussão do dia.

Vc ama, por isto serve ou vc serve, por isto ama?

8 comentários:

b.ËÑÐÎÅBRÅÐÅ disse...

Olá Senhor,
Não gosto de crer cegamente ou por muito tempo nas mesmas convicções, sinto que isto me cegará também para outras verdades que não as minhas. Hoje penso que é possível sim separar o SM do baunilha, mas não sempre e nem creio que sempre seja o ideal. Viemos todos do baunilha, ninguém nasceu com um chicote nas mãos ou servindo alguém. Esta predisposição até existe e vai aflorando ao longo do nosso amadurecimento. Acredito que em algum momento, de alguma forma vamos querer só sexo, vamo querer dormir de conchinha, vamos querer esse outro tipo de entrega a amor que não o SM, mas sim o baunilha, afinal todo nosso alicerce de sensações, experiências e "sentires" é oriundo deste universo. Salvo exceções acredito haver amor em ambos os universos, um amor diferente, mas presente. E no que se refere a discussão proposta, creio que depende de qual desses amores veio primeiro, creio que isso determine o "servir". Se o amor baunilha veio primeiro, creio que se serve por amor. Mas ao contrário, se o "servir" puro e simples vem primeiro, penso que dele possa surgir amor. O que vejo como diferença crucial entre os dois é que no primeiro caso, amor baunilha, praticamente sempre precisamos de motivação e estímulo externos para alimentá-lo ao passo que no amor SM o alimento do próprio amor é a relação pos si só.Não precisa se buscar nada fora, o servir e a entrega plenos são esse alimento.
Bom esta é minha opinião e pode estar completamente errada ou daqui uns anos eu pense diferente, críticas e "observações" são muito bem vindas e necessárias para meu crescimento pessoal, eu ouço e agradeço todas.
Meus respeitos ao Senhor.

melissa disse...

Eu aprendi servir primeiro e depois passei a amar.
Então posso dizer que sirvo por isso amo.Amo muito.

silenciosa sub disse...

Não sirvo..Nem sempre podemos servir a quem amamos (gostaríamos),
Mas amo o poder Dele,
amo Seu domínio,
amo Sua inteligência.

saudações,

s.

¥ nyssa ¥...ÅS disse...

Boa questão. Acho que há de haver algum tipo de amor para servir, daí que servir intensifica esse amor de escrava, que é diferente dos outros amores, e então deseja-se servir mais, e isso sucessiva e progressivamente. É uma dialética. E das bem interessantes! Parabéns pelo blog, ainda não pude ver com a devida atenção, mas estou seguindo.
Sds

LeoaLoba disse...

O COMEÇO DE TUDO É O AMOR!

EU AMO E PONTO. SE SERVIREI OU SEREI SERVIDA AÍ JÁ É OUTRO PARÁGRAFO OU LACUNA....

AMAR É COMEÇO E FIM EM SI MESMO. É SÓ O QUE IMPORTA... O RESTO DÁ-SE UM JEITO...

"AMAR VERBO INTRANSITIVO". OS MODERNISTAS SABIAM DAS COISAS...

TEU BLOG É DIGNO DE MUITO AMOR....

ADOREI ESTAR AQUI. SUA INTELIGÊNCIA, IRONIA, SENSUALIDADE E EROTISMOS SÃO MUITO PROVOCANTES E ATIÇAM A LIBIDO E A REFLEXÃO...

BEIJOS!!!!

naara disse...

Bem...
A bastante tempo não sirvo...
Diante de situações que me deparei,e viví, percebí q a servidão pura, bdsm castiço, não é para mim...
Já serví por achar q amava... Já serví pelo simples fato de querer sentir o q é isso, apenas pela submissão e prazer da carne...
Pois é... depois disto tudo, preferí me ausentar desse mundo...
Creio eu, q seja um mundo de trocas, onde a submissa consegue colocar o rumo de sua vida na mão de um Dominador, (de maneira verdadeira, sem se basear em jogos), qdo há tempo decorrido dessa relação, consensualidade, e CONFIANÇA ABSOLUTA!
Não consigo conceber a idéia de que isso, essa entrega de corpo, sentimento e alma, união entre Dominador e submissa, sejam feitos sem amor...
Uma vez que estes se completam, por serem pessoas inteiras, conscientes de sua posição hierárquica dentro do BDSM, dispostas e com objetivos comuns, haverá sempre a potencialização do sentimento de amor!
Digo humildemente, que a submissão está no coração, realmente, mas a servidão íntegra, e completa, sem limites, e baseada em total confiança, acontece sim, POR AMOR! Entregar o corpo pra ser invadido, usado, até mesmo machucado, só faz real sentido, e não nos marca por arrependimentos,se estivermos
seguras e amarmos QUEM dele desfrutará...

Saudações Sr Eros,
com respeito,
naarinha

florbella disse...

SR:no meu caso de forma lenta e gradual ,as duas situaçoes aconteceram assim sendo aprendi a confiar , servir sem reservas, e junto a isso o amor aconteceu,de forma que não houvesse como controlar nem separar ,lembro sim q relutei em revelar esse sentimento,por julga-lo inadequado a uma relação BDSM, mas posso afirmar hoje que não concebo servir sem amar,ao menos no meu pensar, essa minha opiniao,envio saudações {mary}_DM.

{ÍsisdoEgito}JZ - Tua, somente tua disse...

Eu me amo, por isso amo intensamente tudo o que faço e a todos que sinto prazer em estar e conviver, seja em que situação for.

Sendo assim, não seria diferente no BDSM.

Amo meu Dono, desde o ínicio o amava, talvez, o amor fosse um pouco diferente do que é hoje, afinal, ainda era o inicio da total admiração, confiança e cumplicidade, coisas que somente quando os caminhos são percorridos juntos e em perfeita sintonia, acontecem (citando o post que fez sobre "Caminhos", que é exatamente, o que entre outras coisas, a relação Jun Zurik e {ÍsisdoEgito}JZ, se baseia).

Mas de duas coisas tenho certeza:

1- Se eu não AMASSE A MIM MESMA, nem entraria nessa ou em qualquer outra relação, porque no meu entender, não posso dar-me, nem doar-me a alguem, se não sou capaz de amar-me, de querer-me bem, de cuidar-me.
Só damos ou doamos, o que possuimos....se é que me entende.

2- se também não o amasse, e cada vez mais isso se intensifica, não me entregaria, não o serviria, nem estaria com Ele até hoje, passados 2 anos e 7 meses.....

Abraços respeitosos,

ÍsisdoJun