Postagens

Mostrando postagens de 2014

Discussão atual

Uma rápida busca por BDSM nos buscadores e vc vai achar imagens de conteúdo sexual, sado, bondage, etc. Se procurar sites ou espaços mais "especializados", idem. Se conversar com simpatizantes, curiosos, iniciantes ou gente recém chegada ao meio, muitos vão dizer que nem sabem o que é DP. 
Dominação Psicológica vem virando "lenda" dentro do meio, logo não fará mais sentido compor a sigla, dê outro uso, inventem algum termo pq Dominação Psicológica mesmo, está se extinguindo. 
Bom, alguns definem humilhação, autoritarismo, obediência crua, etc como DP. Mas e a boa DP? De conduzir uma sub, prepara-la, torna-la melhor, tirar dela seu melhor, com dedicação, obediência e entrega real? 
E vc, o que acha? A DP está em extinção?

Participem do fórum: http://observando-o-bdsm.43964.x6.nabble.com/O-Fim-da-DP-tc42.html

Dono, seu parceiro.

Nem tudo é como queremos, nos cabe adaptar. Então, é dentro das possibilidades impostas pela vida que as coisas acontecem, nem tudo é planejado, às vezes tudo depende do cenário, do momento, cabe sim ficar atento, observar, ver, analisar, pensar. De repente, algo acontece, se cria. A mente da gente precisa ser flexível, no sentido de estar pronta pras possibilidades. Se pensar obsessivamente em algo, vai se frustrar por não conseguir, quando a vida é feita de grandes pequenas conquistas diárias. Sub deve tb pensar, ficar atenta, não ficar presa ao óbvio, eis um grande erro, nenhuma sub faz o que faz para e pelo Dono, basta pensar.em alguns pontos: sub gosta de servir? gosta. gosta de agradar? gosta. quer evoluir? quer. quer superar desafios? quer. o Dono é o guia, o norte, o condutor. Claro que ele ama conseguir tudo isto, mas no fim, a sub é a maior ganhadora. Quando se consegue colocar as coisas em ordem, superar as limitações, combater os defeitos, vc, como sub e mulher, ganha. enquanto o Dono, …

Esclarecimento.

A caminhada normalmente é no escuro, com confiança e entrega, mas os objetivos devem ser claros. Ambos devem saber claramente o que o outro espera. Saber que do outro lado da escuridão haverá claridade e transformação.

50 Tons x Mulher de Malandro.

"Quando o cara é feio e pobre e bate na mulher é lei maria da penha, se é rico e bonito é 50 tons de cinza".

Posso estar redondamente enganado, mas pelo que converso por ai tem gente se inspirando numa história de mulher de malandro com toques de refinamento. Conforme a piada acima, que me contaram hoje, questão de ponto de vista ou de uma bela edição. Submissão existe em escalas diversas, é óbvio, afeta uma série de decisões e posturas, mas daí a achar que temos Dominação vai uma distância. O conceito popular e, muitas vezes preconceituoso, é de que mulher de malandro é aquela que gosta de apanhar, ama o seu "sádico" e tem um medo terrível de perdê-lo. Com pequenas variações, gira em torno disto. Mas no fundo, não é a história de 50 tons? Então sou rico, bonito, elegante e ganho passe livre pra bater? Repito, estou reproduzindo aqui uma leitura constante, de muitas mulheres que num primeiro momento se encantaram com o Sr. Grey, até que tiveram a sabedoria de se informar …

Porta Errada.

Uma das coisas óbvias sobre Dominação é que o Dom deve ter autoridade moral. Ou seja, o respeito da sub surge naturalmente. Tão óbvio que nem se discute, mas aposto que muitos até se surpreendem. Ou seja, não adianta usar de artimanhas para parecer "maior", vc jamais vai mudar seu tamanho pq escreve com MAIÚSCULA, pq é ríspido no trato, pq chega dando ordem, etc. Como tantas vezes bem dito, existe uma diferença entre autoritarismo e autoridade. Pode até ser que vc já tenha, inerente, autoridade, portanto não é preciso se travestir de sei lá o que. Conhecimento, cultura, domínio sobre o assunto, auto controle, apuro, etc são qualidades que definem a boa Dominação. Outro recurso vastamente utilizado é usar a sub pra fazer propaganda, já que estamos em período eleitoral, sugiro tb que adotem algum jingle, uma musiquinha pegajosa com rima fácil. E ainda dando aula de assessoria de imagem, escrevem os textos que sua sub deve propagar aos quatro cantos, muitas vezes recheados de elogios …

Afinal, quem é que manda?

Vou tentar esmiuçar algo que vem me chamando a atenção. É um exercício que convido todos os leitores a fazerem, até pq, seja qual for o resultado, certamente aprenderemos mais. É difícil compreender certas engrenagens das relações BDSM, a principio é uma relação entre um Dominante e um subserviente numa relação continuada, é minha resumida e frequente definição. Se tem um Dominante, ele conduz a relação, em tese, uma relação por afinidades, onde os dois se completam. Mas... Não dá pra não ver que existe um mercado virtual de facilitação das relações, com muita publicidade, anúncios disfarçados e todos os recursos possíveis para valorizar seus atributos tendo como fim atingir seus objetivos. É onde as coisas desandam... É sabido que são infinitas as possibilidades de relacionamentos, desde que atendam as mínimas prerrogativas, portanto, defini-las ou resumi-las é impossível, como bem sabemos. Tb é consenso que as relações são conduzidas pelo Dominante, não? Cada um do seu jeito negocia, apa…

O artesão e sua matéria.

Uma das boas verdades sobre Dominação Psicológica é referente aos eventuais estragos que causa, por imperícia, excesso de vaidade, falta de cuidado, de preparo, etc... Casos não faltam para ilustrar. Mas é importante analisar com cuidado, pq a boa Dominação promove outros tipos de efeitos. Vejamos então, usando como referência o artesão e sua matéria prima, a habilidade do artesão no manuseio das ferramentas disponíveis assim como a escolha certa da matéria prima definem o sucesso de sua arte, não? Pensando no Dom como artesão e a sub com a matéria a ser trabalhada, a combinação de habilidade e afinidades é determinante para o sucesso. Ou seja, por mais habilidoso e capaz que o artesão seja, suas habilidades de nada valem com matéria prima que não seja de sua esfera de "afinidades". O manuseio hábil decorre do gosto, da dedicação, do aprendizado e de condições inerentes, de formação mesmo, são pré-existentes certas condições que te fazem um artesão. Assim como a matéria prima só…

Cadela!!!

Imagem
Vou falar de algo que em meus mais de dez anos no meio, sinceramente, nunca achei necessário tratar. Para mim é algo tão bem resolvido que nunca teve relevo pra merecer mesmo uma citação. Pode vasculhar o blog e suas inúmeras postagens, qtas vezes usei o termo cadela? Veja que ao falar de mim acabo falando, por consequência, de todas as pessoas com quem convivi e compartilhei momentos dentro do meio. O BDSM é amplo em suas possibilidades, contempla tantas situações e é assim mesmo, já comentei isto e não vou me repetir. E é esta universalidade que impede qualquer coisa que seja restritiva, rótulos é um bom exemplo, cada um busca aquilo que mais convém e melhor define. Temos vontades e desejos próprios, riquezas bem pessoais, virtudes e defeitos que nos individualizam, e é o encontro disto tudo que produz os melhores resultados dentro de cada relação, a troca. Evidentemente cadela é um destes termos populares no meio mas, convenhamos, bem limitador. Tem cadelas, óbvio, tem os adestr…

O Tesouro.

Dom vasculha a sub, e descobre seus tesouros...Pq eu faria o contrário? Pq impor as coisas que eu gosto se uma sub pode me surpreender?

Alerta!

Cuidado!!! Não confunda pornografia visual e/ou escrita maquiada de BDSM como se fosse o próprio BDSM. Nem tudo é o que parece. Autenticidade é tudo.

O Conselho

É preciso entender que sub se desenvolve em silêncio, que cresce ouvindo, praticando em reserva tudo aquilo que a tornará grande. Tem uma frase antiga, talvez não seja tão bela como as que costumam pipocar na net, mas que diz muito: Seja como a luz que atravessa o pântano sem dele levar o lodo... Sub é isto, exposta a todo tipo de coisa, mas que segue em frente ciente daquilo que faz parte do seu EU. Sub pode estar nua numa vitrine diante de centenas de olhares, mas ninguém verá do que ela é feita, só seu Dono. Sub não é um amontoado de coisas, de peças que vai recolhendo pelo caminho, sub é construção minuciosa, cuidadosa com partes que são relevantes no todo. Quando entender que seu crescimento é sua exclusiva responsabilidade, não algo feito na base de erros e acertos, mas de paciência, seleção, serenidade, a sub dará muitos passos na direção que quiser. Quando falo sua exclusiva responsabilidade é necessário entender que, no fim, quem processa tudo que recebe é a sub, seja algo v…

Círculos.

Os efeitos da Dominação são como círculos um dentro do outro, os mais amplos partindo do Dom, os menores dentro da sub.
E são os menores que se referem ao qto a sub consegue se dominar, controlando e lidando com seus temores e desejos, com tudo aquilo que pode vir a corromper sua submissão e, consequentemente, destruir todos os círculos que se formam.

Exercício ou Prática?

Não se exercita a submissão, visto que ela é pré existente. Vc a pratica. O que de fato ocorre é um processo de quebrar barreiras, derrubar bloqueios, ou seja, os avanços são na direção de tornar a submissão mais fluída.

Uma forma...

As relações BDSM buscam o prazer, sem dúvida. O prazer de Dominar, o prazer de servir, o prazer da companhia certa, o prazer da evolução, o prazer sexual, etc... Mas me chama a atenção como o prazer sexual permeia o meio, é tanta imagem, tanto relato que me pergunto sobre os outros prazeres. Sexo, que deveria ser meio, ferramenta ou algo do tipo parece ser o foco principal para muitos. E, como forma de obter o melhor "desempenho", se usa e abusa da força, da imposição, do autoritarismo, da energia física aplicada ao ato, à Dominação. Até a estética do sexo ficou meio em segundo plano, numa abordagem mais erotizada, sexual. Mas estamos falando de Dominação/submissão. E as outras formas de submissão, perderam valor? Vejamos por exemplo uma sub delicada, inteligente, de trato agradável, excelente companhia, presença que intensifica o orgulho do Dono. Difere um tanto das abundantes imagens que vemos por ai, mas pq não exerce mais o mesmo fascínio de antes? A submissão tem várias form…

A Fantasia e o Fetiche no BDSM

Muita gente adere ao BDSM para realizar suas fantasias e/ou fetiches, algumas vão além estabelecendo relações fetichistas que não seguem os rigores da relação Dom e sub. Mas não vou tratar destas relações e sim das fantasias e fetiches dentro de relações BDSM. Se tem de maneira clara que quem define os rumos da relação é o Dom, desde que dentro do consensual, portanto, quando se tratar de realizar fantasias ou fetiches, serão as dele, tendo a sub como meio. Mas a sub fica chupando o dedo? Considerando que as relações devem ser acordadas, os termos colocados todos de maneira clara e seguidos de maneira religiosa, se supõe que a sub, ao escolher se entregar, sabe o que terá, se suas fantasias e fetiches serão contemplados e, consequentemente, a aceitação das fantasias e fetiches de seu Dono. Acima de tudo fica a relação Dom/sub, norteada por um acordo, que cresce na base da confiança adquirida. A relação, nesses termos, permite explorar uma série de possibilidades, todas dentro do consensu…

A Ética

A postagem anterior remete a ética, não é a primeira vez que o assunto compõe uma postagem, mas não sei se alguma vez me dediquei exclusivamente ao tema. Ética é daquelas coisas tão óbvias que esquecemos de tratar, e é algo tão fundamental no meio que até eu me surpreendi tentando rememorar as vezes que tratei do assunto e me dar conta da carência de vezes que abordei. Uma das coisas que já falei é sobre a reserva da relação, só cabe aos dois. Não faltam motivos, até pq cada relação é própria, com características únicas. Basta tirar algo de contexto e pronto, um novo cenário se cria, ainda mais lidando com tantas sutilezas e motivações, se cada ato tem um intuito que, na maioria das vezes, só o autor sabe, imagine então sob lentes distorcidas ou submetido a diversas versões? Não que sempre haja intenção por trás disto, mas o fato de ter a ética norteando é justamente pra evitar "acidentes".  Tudo bem até aqui, mas é analisando algumas situações que tudo vai ficando mais claro, …

Emoções na vida de um Dom.

Imagem
Vida de Dom é mesmo emocionante, não? Não a toa tanta gente quer entrar pro meio, se auto proclamando Dom. Veja, de repente, vc tem subs se dizendo sua, fazendo relatos sobre as aventuras e sessões... Sem esforço, sem conquista, sem absolutamente nenhuma energia gasta, vc tem uma sub e uma história. Pode até lamentar que não tenha vivido efetivamente uma linha sequer daquilo ali, mas pra que divulgar, não? Um dos lados negativos é que nem sempre a tal sub tem "virtudes" que honram seu nome, mas vc pode argumentar que foi um deslize ou que era uma pedra sendo lapidada... Bem vindas as subs de "gaveta". aquelas que te mantém na ativa, aquelas que constrói "lindas" histórias, desde que te dêem brecha pra vc tb usar a seu favor...

Obs.: Se trata de uma realidade mas, antes que tirem conclusões, não, não tenho subs no momento, nem tive nos últimos meses...